Conteúdo de qualidade e exclusivo
para você ficar bem informado!

Que tal aproveitar e se inscrever em
nossa newsletter? Faça agora!

Entenda a importância do planejamento societário para empresas

Manter uma empresa funcionando perfeitamente exige não apenas uma boa administração, mas também equilíbrio nas relações que a cercam, principalmente quando essas relações são formadas por sócios ou por familiares.

Sendo assim, algumas medidas para tornar esse elo menos prejudicial precisam ser tomadas. E é nesse tipo de circunstância que realizar um planejamento societário pode ser uma boa estratégia.

Neste texto, vamos apresentar tudo o que você precisa saber sobre esse procedimento. Confira!

O que é planejamento societário?

O planejamento societário é um conjunto de orientações formalizadas em um documento para determinar as relações entre os sócios e as atividades da empresa. É por meio dessa medida que é possível definir quais são os direitos e deveres de cada associado ou membro da sociedade.

Além disso, é no planejamento societário que estão as diretrizes para resolver questões de caráter litigioso.

Essas instruções podem ser fundamentais em determinadas situações que envolvem casos de mudanças no quadro de acionistas ou sócios. São cenários como a divisão, fusão ou expansão da sociedade, assim como no momento de inclusão de novos sócios e na abertura fiscal.

Qual é a importância para uma empresa?

A elaboração de um planejamento societário é um passo muito importante para uma empresa, pois, como vimos no tópico anterior, ele deixa determinadas todas as orientações que envolvem os societários, auxiliando a companhia na hora da tomada de decisões.

Questões como porcentagem de cada sócio, aceitação de novos membros e até as exigências para compra e venda de partes do empreendimento são só alguns exemplos de instruções que esse tipo de documento pode oferecer.

Além disso, por conter essas informações, o planejamento societário pode ser uma ótima ferramenta para garantir a segurança da empresa, já que ele delimita a relação entre os sócios e o patrimônio do negócio.

Com isso, se houver algum tipo de desentendimento entre os membros, o documento pode mostrar qual é a melhor maneira de lidar e, dessa forma, eles podem focar no que realmente importa: as atividades da empresa.

Como funciona?

Inicialmente, a elaboração do planejamento societário começa pelo contrato ou estatuto social. Aqui, serão definidas as regras legais e de contabilidade que a empresa precisa ter para o seu funcionamento.

Como são dois documentos diferentes, eles têm funções diferentes.

Por exemplo, no caso de um contrato social, ele é elaborado para registrar companhias de capital aberto que possuem quotas e costumam negociá-las no mercado. Agora, em relação ao estatuto, ele é direcionado às empresas conhecidas como LTDA, ou seja, aquelas que têm o capital social limitado aos societários.

Dito isso, em ambos os documentos é preciso conter as informações básicas da empresa, como razão social, atividade, valor do capital e divisão entre os sócios e o endereço da companhia. Se for um empreendimento de capital aberto, é preciso determinar a quantia das quotas que serão negociadas na bolsa.

Também é necessário definir quais são as responsabilidades fiscais de cada membro da sociedade e com quem ficará a administração e o quanto de rendimento cabe a ele. É importante dizer que o planejamento societário pode conter outros documentos, como um código de conduta para as atividades dos sócios.

Como o planejamento societário pode ser feito?

Por ser um documento bastante complexo devido às diretrizes que carrega, existem alguns passos para a sua elaboração. A seguir, apresentamos quais são. Confira!

Defina a finalidade do negócio

Quando uma empresa é formada, ela é gerada com um objetivo. E tê-lo bem elaborado é fundamental para estabelecer as atividades do negócio e orientar os funcionários a respeito do caminho a seguir.

Além disso, é uma maneira de mostrar aos fornecedores, aos clientes, ao mercado e às instituições fiscais para que essa empresa foi criada.

Escolha o societário

Há uma grande complexidade quando se divide a gestão da empresa. Se, por um lado, existe uma repartição das responsabilidades, por outro, há chances de problemas de relacionamento entre os sócios.

Contudo, há maneiras de definir a sociedade de uma empresa e isso pode ajudar em diferentes situações. Uma empresa pode escolher se organizar como uma sociedade:

  • anônima,
  • limitada,
  • simples,
  • entre outras.

Assim sendo, é muito importante que esses parâmetros sejam definidos e conversados com todos os possíveis sócios. Caso o tipo de sociedade escolhido seja incorreto, por exemplo, pode causar até problemas com o regime tributário da empresa, fazendo-a pagar mais do que o necessário, por exemplo.

Determine o valor do capital

Todo empreendimento tem um investimento inicial conhecido como capital social. Essa parcela é o que será o rendimento do negócio em seu início, quando ele ainda não gera lucro suficiente para se manter.

Essa quantia é definida de acordo com alguns critérios, como o tipo de empresa, as atividades desempenhadas, o tempo de retorno do investimento, etc. Os sócios inicialmente auxiliarão na arrecadação desse valor, porém alguns podem não dar a mesma quantia.

É no planejamento societário que se define qual é o valor desse capital e qual é a quantidade que cada membro deverá desembolsar.

Estabeleça as responsabilidades

Outro ponto importante, ao elaborar um planejamento societário, é definir qual será o papel de cada sócio na empresa. Isso é fundamental, pois, além de ajudar no desempenho do negócio, pode evitar que alguns sócios acabem com mais funções que outros.

É aqui que são determinadas as responsabilidades, como quem investirá, quem participará da administração diretamente, quem ficará responsável pela negociação e compra, etc.

Regularize a administração e gestão

Agora é o momento de definir as instruções para situações de gerenciamento do negócio. Em uma empresa, não é incomum que nem todos os sócios estejam disponíveis na hora de tomadas de decisão. Essa é a parte em que estarão as normas de como agir em situações como essa.

Contudo, é importante destacar que, em casos muito específicos em que as decisões vão afetar seriamente a companhia, abertura de capital, por exemplo, é preciso deixar claro que a aprovação de todos os membros da sociedade ainda é importante.

O que é o modelo holding?

Em termos gerais, holdings são sociedades que possuem uma personalidade jurídica própria com o propósito familiar ou patrimonial. Sendo assim, esse tipo de sociedade pode ser dividido por quotas ou ações.

Geralmente, ele é utilizado para que as famílias possam controlar os ativos das empresas de forma descentralizada. Isto é, uma empresa pode ter donos e herdeiros como sócios.

Um fato interessante é que, em caso de morte de um dos donos, os demais podem operar a empresa sem problemas enquanto determinam quem será o sucessor ou até separam as quotas do antigo dono.

Temos certeza que esse texto foi bem esclarecedor sobre a importância do planejamento societário para a empresa. Quer continuar se informando sobre processos empresariais? Então, veja no nosso texto a importância da contabilidade para a tomada de decisões. Acesse agora!